top of page
  • Foto do escritorAlexandra Gomes

“Como” e “quando” prevenir o consumo de tabaco na adolescência


Os números da Organização Mundial de Saúde são claros: por ano, na Europa, morrem cerca de 1 milhão e 200 mil pessoas devido ao tabagismo.


Infelizmente o consumo de tabaco, não poucas vezes, tem início na adolescência. Esta é uma fase complicada para os jovens, na medida em que, para além das alterações hormonais, existem fatores externos pouco adequados, mas muito atrativos para estes.


Segundo a Psicóloga Catarina Milheiro, o tabaco e o seu consumo podem surgir numa conversa entre amigos ou um deles até pode fumar e estes são motivos atrativos para experimentarem sem pensarem nas consequências. Ademais, frequentemente veem-se pessoas a fumar na rua, por isso, é crucial conversar com os filhos sobre as vantagens de uma vida sem fumar.


São várias as doenças associadas ao tabagismo, tais como: doenças coronárias, cancro, doença pulmonar obstrutiva crónica, bronquite, entre outras. Para além disso, segundo dados da Fundação Portuguesa de Cardiologia, os fumadores têm, em média, menos 10 anos de vida do que os não fumadores. Para além destes motivos, o tabagismo é uma prática que deteriora a cavidade bucal, as mãos e altera o odor do jovem.


Por estes, de entre motivos, Catarina Milheiro apresenta algumas propostas de prevenção do consumo de tabaco na adolescência:


1. Conversar com os filhos sobre o consumo de tabaco e as vantagens em não fumar. Não deve haver receio em assustar com as doenças pois, muitas vezes, é necessário que se apercebam das consequências (graves) do tabagismo.


2. Assegurar que tabaco é tabaco, independentemente do tipo de cigarro, e, por isso, é sempre nocivo para o fumador (independentemente que seja convencional, eletrónico, aquecido, shisha, etc.)


3. Dar exemplos de pessoas que conheçam, com problemas de saúde devido ao tabagismo, salientando que uma simples decisão pode mudar a própria vida, podendo acabar com ela.


4. Não fumar em frente aos filhos. Os pais/adultos são sempre as referências e, afinal, educam pelo exemplo. Por isso devem evitar fumar perto dos não fumadores, particularmente dos seus filhos.


57 visualizações0 comentário

Posts Relacionados

Ver tudo

Como atuar quando as crianças têm pesadelos frequentes?

Como foi referido num artigo anterior, os pesadelos recorrentes em crianças podem ser causados por uma variedade de fatores, perante os quais é necessário atuar com sensibilidade e cuidado, de forma a

Comments


bottom of page