top of page
  • Foto do escritorAlexandra Gomes

Como preparar as crianças e os adolescentes para o futuro de forma eficaz


Preparar as crianças e os adolescentes para a juventude, contribuindo de forma eficaz, para que tenham um futuro de sucesso é o objetivo dos pais e educadores e envolve a combinação de procedimentos assentes nas orientação e educação e no apoio emocional.

 

De forma naturalmente amorosa, os pais e educadores podem preparar os mais novos para esta transição, adotando algumas estratégias, tais como:

 

Promovendo competências socioemocionais. Ensinar habilidades como empatia, comunicação não violenta, humildade, partilha, resolução de problemas e gestão emocional. Isto ajuda as crianças a construir relacionamentos saudáveis, lidar com conflitos e enfrentar os desafios do dia-a-dia.

 

Estimulando a autonomia. Dar responsabilidades adequadas à idade e permitir que se comprometam com as suas próprias decisões e ações adotadas. Desta forma, desenvolvem a confiança em si próprias, ajudando-as a lidar com a frustração e a tomada de decisões conscientes.

 

Promovendo a autoconsciência. Ajudar as crianças a explorar os seus interesses, valores e identidade, ajudá-las-á a entender quem são e o que desejam alcançar na vida e a fazer escolhas informadas sobre educação, carreira e relacionamentos.

 

Fomentando competências de pensamento crítico. Incentivá-las a questionar, analisar e avaliar informações de forma crítica, contribui para que tomam decisões conscientes, resistem à pressão dos pares e cresçam positivamente num mundo cada vez mais complexo.

 

Ensinando habilidades práticas. Ensinar as crianças a cozinhar, fazer compras, gerir pequenas quantidades de dinheiro e outras habilidades práticas essenciais para a vida adulta, ajuda-as a tornarem-se mais autossuficientes e preparadas para os desafios do quotidiano.

 

Estabelecendo limites saudáveis. Definir limites claros e consistentes, enquanto são oferecidos apoio e orientação. Assim as crianças entendem as expectativas dos adultos e desenvolvem a autodisciplina.

 

Conversando abertamente sobre questões relevantes. Estar aberto para refletir e conversar com as crianças temas como saúde mental, sexualidade, consumo de substâncias prejudiciais para si próprias (lícitas e ilícitas) e segurança on-line. Para tal é necessário criar um ambiente onde as crianças se sintam confortáveis e seguras para colocar questões e procurar orientação.

 

Incutindo a importância da resiliência. Ensinar as crianças a lidar com o fracasso e a rejeição e a gerir a frustração e a adversidade, de um modo geral, contribui para o desenvolvimento da sua resiliência emocional e, de forma determinante, para enfrentar os desafios da vida adulta.

 

Promovendo um estilo de vida saudável. Incentivar hábitos de vida saudáveis, seja através da alimentação saudável, da prática regular de exercício, da boa higiene do sono e da gestão da raiva, contribuindo, assim, para o seu bem-estar físico e mental.

 

Estando presente e apoiando. Estar disponível para escutar, apoiar e orientar, sempre que necessário. A presença dos pais e educadores e o seu apoio emocional são fundamentais para ajudar as crianças a lidar com os altos e baixos da adolescência e, assim, prepará-las para a juventude.

 

Cada criança é única e, embora sejam propostas cuja adoção contribua para um desenvolvimento psicoemocional saudável, estas devem ser adaptadas às suas necessidades individuais. O importante é criar um ambiente de apoio e orientação que as ajude a tornarem-se adultos responsáveis, confiantes e bem-sucedidos.

 

22 visualizações0 comentário

Posts Relacionados

Ver tudo

Crianças desafiantes, pais inquietos: o que fazer?

Lidar com crianças desafiantes pode ser uma tarefa difícil e exaustiva para os pais.  Estes enfrentam uma multiplicidade emocional perante os desafios associados, sentindo-se física e emocionalmente d

Como pode a escola formar alunos felizes?

A escola desempenha um papel crucial na formação de alunos felizes, não apenas fornecendo conhecimento académico, mas também promovendo competências sociais, emocionais e pessoais. Várias são as estra

Como gerir a pressão nos períodos de avaliação

Os períodos de avaliação representam um momento inquietante para os alunos e gerador de uma sintomatologia ansiogénica inevitavelmente prejudicial. Lidar com a pressão nos períodos de avaliação é desa

Comentários


bottom of page