• Alexandra Gomes

Dicas para afastar as crianças dos ecrãs (Parte 2)

Nesta segunda parte do artigo iniciado no dia 09 de dezembro, seguem-se dicas adicionais, propostas pela especialista de bem-estar digital Kristy Godwin, que os pais devem implementar, gerindo o tempo despendido das crianças nos ecrãs e assim contribuir para o seu desenvolvimento salutar emocional.


- Limitar, antecipadamente, o tempo despendido na utilização dos ecrãs e ser assertivo e coerente com essa predefinição. Este é também um meio de evitar birras, já que há um acordo pré-definido.


- Passar tempo livre no exterior. Por vontade própria, as crianças não deixam os ecrãs para passar tempo no exterior, por isso os pais/educadores devem programar tempo de brincadeira fora de casa. A Natureza recalibra o cérebro e acalma as pessoas, sendo uma importante fonte de saúde e bem-estar para todos, particularmente as crianças.


- Estar atento ao que as crianças fazem nos ecrãs. É muito importante observar o que as crianças fazem nos dispositivos eletrónicos. Há uma grande diferença entre jogar durante horas seguidas e fazer os TPC, falar com os amigos ou jogar.


- Melhorar a qualidade do sono das crianças/dos jovens/dos adultos, colocando os ecrãs de lado, pelo menos 1 hora antes de dormir.


- Hora da refeição sem ecrãs. Os relacionamentos são o mais importante para a saúde e promotores da felicidade e, por isso, a hora das refeições é muito importante para se estabelecer a socialização.


- Utilizar aplicações que bloqueiem certos sites controlando o acesso das crianças ao mundo digital.

Os ecrãs estão aqui para ficar e, por isso, os pais são importantes modelos de ensino para que as crianças convivam com eles, usando-os de forma saudável e responsável.


Fonte: https://www.msn.com/pt-pt/lifestyle/noticias/conselhos-de-especialistas-para-arrancar-as-crian%c3%a7as-dos-ecr%c3%a3s/ss-AARqDWm?ocid=se#image=1

52 visualizações0 comentário

Posts Relacionados

Ver tudo

A adolescência é uma das fases desenvolvimentais que mais ajustes exige na parentalidade. É esperado que os pais consigam acompanhar todas as mudanças que caracterizam esta fase, particularmente o des

A capacidade das crianças em socializar e o conhecimento que têm sobre o valor da amizade advém do exemplo dos pais. Estes devem escutar as crianças, saber o que precisam, como se sentem e como atuam