top of page
  • Foto do escritorAlexandra Gomes

Educação equilibrada, laços familiares saudáveis

“Ao final do dia, uma boa família deveria fazer com que tudo fosse inesquecível.” (Mark V. Olsen)


Educar é uma tarefa diária desafiante. Se não for realizada de forma adequada, a educação pode “deseducar”, destruindo laços familiares.


Por sua vez, uma educação equilibrada – saudável e responsável – implica ter muita paciência, carinho e boa vontade, promovendo o desenvolvimento equilibrado das crianças e cuidando dos laços familiares, geradores de vínculos seguros.


Então, como educar saudavelmente e criar laços familiares saudáveis?


Dizer “eu amo-te” repetidamente, às crianças, e expressar a importância que elas têm na vida dos pais e dos outros elementos da família (irmão(s), avós…), nutre o amor familiar e aumenta a autoestima das crianças.


Recorrer à empatia e ao esforço na gestão de conflitos familiares. Colocar-se no lugar do outro – ser empático – não faz com que a discussão termine espontaneamente, mas ajuda a entender um pouco melhor a situação. Além disso, facilita a compreensão do outro, ainda que não partilhando o mesmo ponto de vista, mas facilitando a aproximação a um acordo para ambas as partes.


Definir direitos e deveres claramente delimitados e consistentes, entre os elementos familiares. Esta definição deve ser feita de acordo, sobretudo, com a idade das crianças. Por exemplo, é possível pedir tarefas simples a partir de um ano de idade e assim promover a autoestima das crianças (ex. recolher os seus brinquedos, ajudar a levar um objeto de um lugar para o outro ou limpar algo que derrubaram no chão…). Da parte dos adultos, é importante elogiar a ajuda prestada pelas crianças, fazendo com que estas se sintam bem.


Estas são algumas estratégias que visam o equilíbrio familiar, evitando discussões e mal-entendidos desnecessários, assoladores dos laços familiares.



33 visualizações0 comentário

Posts Relacionados

Ver tudo

Como atuar quando as crianças têm pesadelos frequentes?

Como foi referido num artigo anterior, os pesadelos recorrentes em crianças podem ser causados por uma variedade de fatores, perante os quais é necessário atuar com sensibilidade e cuidado, de forma a

Comments


bottom of page