• Alexandra Gomes

Medos fantasmas e medos do coração

Todos têm medo! Mesmo os que dizem que não o têm. Isto porque o medo é uma emoção básica e transversal a todos os seres sencientes!

Há muitos medos, mais ou menos conscientes, mais ou menos amigos, mais ou menos (emocionalmente) saudáveis. O medo, tal como as outras emoções básicas é uma emoção “amiga”, quando protege o seu “hospedereiro” de situações perigosas e contribui para a sua sobrevivência e o seu bem-estar. Estes medos são os também “medos amigos” ou “medos do coração”, por exemplo, ir para o mar com bandeira vermelha, atravessar a estrada sem olhar, saltar da prancha mais alta de uma piscina... entre outros. Já os “medos mentirosos” fazem acreditar que algo mau vai acontecer quando, na verdade, não há motivo para preocupação. Estes são medos que só dizem mentiras e geram frustração e tristeza significativas, incapacitando o “hospedeiro” de fazer seja o que for. Estes medos, são como nuvens escuras que entram no pensamento das crianças, sem ser convidados, e só dizem mentiras, fazendo-as acreditar que são “verdades verdadinhas”. Estes medos mentirosos entram mais facilmente no pensamento das crianças quando estas têm alguns comportamentos que se tornam uma espécie de cartão de visita desses medos. Esses comportamentos vão desde:

  1. Ver televisão até tarde;

  2. Utilizar muitas vezes os ecrãs, seja para jogar ou até visualizar vídeos, nem sempre com tanto interesse quanto o desejado;

  3. Ter uma alimentação frequentemente desequilibrada (fast-food);

  4. Dormir menos que o necessário;

  5. Ter pouco contacto com a Natureza;


Sobretudo para estes medos, as crianças, com o auxílio essencial dos adultos, devem conhecer e saber dar pequenos grandes passos para vencer o medo e aí, sentirem-se livres e felizes!


Assim, perante o medo, as crianças devem:


1º Ouvir o que o medo lhes diz e escrever ou desenhar;


2º Lembrar-se de uma situação em que esse medo apareceu e contar quantas vezes algo de mau aconteceu;


3º Se se verificar que nada de mal aconteceu, nessas vezes em que apareceu, chamar-lhe o nome que ele merece: Medo mentiroso!


4º Aproveitar a vida, brincar muito e acreditar que cada vez que vencem estes medos, as crianças tornam-se mais fortes, confiantes e muito mais felizes!

142 visualizações0 comentário

Posts Relacionados

Ver tudo

A importância do brincar no desenvolvimento infantil

As brincadeiras têm um papel muito importante na vida das crianças, pois, entre vários motivos, contribuem para a promoção do seu desenvolvimento psicoemocioal. Por isso, é muito importante que todas

Uma emoção em crise: Amor-Próprio

O Amor-Próprio significa ter estima e confiança por si próprio e é fundamental para criar uma relação saudável com o próprio e com o outro. Quando se sente esta emoção, tão presente na própria vida, s