top of page
  • Foto do escritorAlexandra Gomes

O Stresse Agudo e o Stresse Pós-traumático na infância


As Perturbações de Stresse Agudo e de Stresse Pós-traumático na infância são reações a eventos percebidos como traumáticos para as crianças e implicam pensamentos ou sonhos invasivos. Anteriormente estes episódios eram considerados perturbações de ansiedade. No entanto agora diferem destas, dado que embora possam ser ansiogénicos, caracterizam-se por uma sintomatologia mais abrangente.

 

Uma vez que existem diferenças na vulnerabilidade e no carácter das crianças, nem todas as que passaram por eventos traumáticos desenvolvem estas perturbações. No entanto, por exemplo, nas crianças, a violência doméstica e os episódios de bullying são as causas mais comuns da Perturbação de Stresse Pós-traumático.

 

Sobretudo em crianças com mais de 6 anos de idade, estas podem desenvolver uma Perturbação de Stresse Pós-traumático sem testemunharem diretamente o evento, ou seja, por intermédio da comunicação social, dos conteúdos digitais ou por ocorrer a um familiar ou a um elemento próximo.

 

Os quadros sintomatológicos mais frequentes do Stresse Agudo ou da Perturbação de Stresse Pós-traumático são semelhantes e resultam da combinação de vários sintomas como:


- Sintomas intrusivos: sonhos ou memórias recorrentes, involuntários e angustiantes do evento traumático; aflições quanto a indícios internos ou externos que lembram algum aspeto do trauma.


- Sintomas de esquiva: surgimento aleatório persistente de memórias e sensações do trauma;

 

- Efeitos cognitivos e emocionais cognitivos: incapacidade de recordar aspetos importantes da situação traumática, pensamentos distorcidos sobre as causas, diminuição das emoções positivas e aumento das emoções negativas, falta de interesse generalizado, afastamento social;

 

- Excitação e/ou reatividade alterada: nervosismo, resposta ao sobressalto exagerada, dificuldade em relaxar, dificuldade de concentração, sono perturbado e comportamento agressivo.

 

A vivência de um quadro sintomatológico desta natureza tem um impacto significativo na criança e com consequências negativas e médio e a longo prazo, contribuindo para um desajuste de carácter psicoemocional do adulto e diminuição da sua estabilidade emocional.


22 visualizações0 comentário

Posts Relacionados

Ver tudo

A primavera chegou! Como “viver ao sabor” da estação

A primavera chegou e com ela o sol (embora nem sempre manifestado nos últimos tempos), os dias maiores, o despertar de alguns animais e o colorido das flores. Sendo nós parte integrante da Natureza e

Comments


bottom of page