top of page
  • Foto do escritorAlexandra Gomes

Quando o “primeiro” filho vai para a Universidade


A ida do “primeiro” filho para a Universidade é um momento emocionalmente desafiante para os pais. De um dia para o outro há que assegurar a disponibilidade financeira, conseguir um alojamento para o filho, certificar-se das “boas” companhias, confiar na autonomia do filho, lidar com os seus medos e as suas inseguranças e superar os próprios receios por ver o filho sair.


Seguem-se algumas dicas para ajudar os pais a lidar com esse turbilhão emocional.


1. Comunicar com o filho. Manter linhas abertas de comunicação com o filho. Perguntar-lhe sobre o que sente, as suas preocupações e as suas expectativas em relação à Universidade. Devem, por isso, estar dispostos a escutar e a oferecer apoio emocional.


2. Respeitar a sua autonomia. A ida para a Universidade é um passo importante na jornada de autonomia do filho. Ao reconhecerem esse passo evolutivo, os pais devem permitir que este tome as suas decisões e se comprometa com as suas consequências, sejam positivas ou prejudiciais para ele.


3. Preparar-se antecipadamente. Esta preparação inclui planear a logística da mudança, especificamente da acomodação, do transporte e da gestão financeira.


4. Encontrar um equilíbrio. É natural sentir saudades e preocupar-se quando o filho se muda para longe. No entanto, é importante encontrar um equilíbrio saudável entre dar espaço e dar apoio. Assim, devem evitar “sufocar” o filho com preocupações excessivas, acabando por gerar ansiedade (desnecessária) no filho.


5. Criar momentos especiais. Planificar momentos especiais antes da partida do filho, como por exemplo um “jantar fim de férias” ou um dia de atividade em família. Estes momentos podem ser boas oportunidades para partilhar emoções e criar memórias amorosas e que o filho levará com ele.


6. Estar preparado para as próprias emoções. Reconhecer que os próprios pais também podem experimentar uma mistura de emoções incluindo orgulho, tristeza e ansiedade. São emoções expectáveis por isso devem procurar apoio junto de amigos, familiares ou, se necessário, um profissional de saúde mental.


7. Ficar conectado. Manter contacto regular com o filho através de telefonemas, mensagens de texto, videochamadas ou visitas, quando possível. Desta forma é reduzida a distância emocional.


8. Confiar no processo de crescimento. Lembrar-se que a universidade é uma fase importante no desenvolvimento do filho. É desta forma que este vai adquirindo autonomia, conhecimento e life skills que o ajudarão a tornar-se um adulto responsável e autossuficiente.


9. Estar preparados para mudanças em casa. A ausência do filho mais velho pode trazer mudanças na dinâmica familiar. Os pais devem estar abertos a essas mudanças e aproveitar a oportunidade para se reconectarem com os outros elementos da família.


10. Apoiar os objetivos do filho. Sejam profissionais ou académicos, os pais devem estar presentes para encorajar o filho em atingir os seus objetivos.


Gerir a ida do primeiro filho para a Universidade é um processo de ajuste emocional para pais e filhos. Com compreensão, comunicação e apoio mútuo, esta fase pode ser uma oportunidade de crescimento e fortalecimento de laços familiares.

20 visualizações0 comentário

Posts Relacionados

Ver tudo

É um pesadelo ou um terror noturno? Como distinguir

Por vezes, durante a noite, quando deveriam descansar após um dia ativo e preenchido, as crianças têm um sono agitado, com alguns pesadelos, o que faz com que despertem cansadas e com irritabilidade.

Opmerkingen


bottom of page