• Alexandra Gomes

A Autoconfiança no Desenvolvimento da Inteligência Emocional

A autoconfiança, tal como a autoconsciência, é uma competência pessoal que contribui para o desenvolvimento da Inteligência Emocional. Esta competência verifica-se nas pessoas com uma atitude positiva em relação a si próprias, isto é, que se sentem bem consigo mesmas.


As pessoas autoconfiantes chegam ao final do dia com a sensação de “missão cumprida”, com a impressão de que nesse dia deram o seu melhor. Esta perceção, alimentada diariamente, transforma-se em autoconfiança. Tal como J. M. Barrie disse em Peter Pan (1924), “No momento em que duvidares se consegues voar, deixarás para sempre de o conseguir”.


Assim, ser uma pessoa autoconfiante, segundo a psicóloga Adriana Vieira (2014), é ter vontade e acreditar que conseguiu fazer o que foi necessário para alcançar um objetivo pré-definido.


Ter autoconfiança é superar os desafios que vão surgindo, é ser resiliente na conquista do resultado desejado, é desenvolver competências e adquirir mais conhecimento para superar os obstáculos e alcançar os objetivos definidos.


Uma pessoa autoconfiante tem facilidade em manter o contacto visual e expressar as suas necessidades, mantém uma postura corporal ereta e com tranquilidade consegue expor e defender os seus pontos de vista.


No final, desenvolver a autoconfiança passa por assumir as próprias fragilidades e ter a coragem de pedir desculpa, é aceitar-se tal como é e ter consciência do impacto das suas escolhas nas outras pessoas. Desta forma, a pessoa começa a experienciar os benefícios da prática da autoconfiança no relacionamento consigo própria e com os outros, vendo desenvolvida a sua Inteligência Emocional.

52 visualizações0 comentário

Posts Relacionados

Ver tudo

A ansiedade é um estado de preocupação intenso e duradouro com algo que possa vir a acontecer. No final do ano letivo, a preocupação, transversal à maioria dos alunos, é o seu desempenho académico nos

A felicidade não é perene. Este é um facto. Por mais otimista que se queira ser, há alturas em que emoções como o medo, a tristeza, o desejo ou a angústia surgem na vida do ser humano. Estas emoções a

No final do ano letivo muitas emoções afloram nas turmas, especialmente naquelas que estão em fase de transição para um novo Ciclo Escolar. Seja do pré-escolar para o 1º Ciclo, deste para o 2º Ciclo,