top of page
  • Foto do escritorAlexandra Gomes

A “culpa” já obsoleta da parentalidade

Quem disse que era fácil educar, não o fez com a melhor das intenções!


Educar é tão apaixonante, como desafiante, por isso, começar por assumir que educar é uma arte complexa e inacabável permite que o educador o faça com mais tranquilidade.


A questão é que, mesmo admitindo-o neste estado de serenidade, educar traz consigo receios, dúvidas e incertezas. Com alguma dificuldade é garantido que, o que os pais fazem hoje, seja um bilhete de entrada para uma vida feliz, resolvida e de sucesso dos seus filhos!


É frequente nos pais, particularmente, pais profissionalmente ligados à Educação que, por “defeito de sabedoria” estejam mais despertos para formas de exercer a sua parentalidade e a culpa pela sua forma de educar esteja, por isso, mais presente nas suas mentalidades.


Assim, é determinante para estes mesmos pais, e para os restantes que possam sentir este aperto no seu coração, que, por acharem que devem fazê-lo de outra forma, mudar de mentalidade, começando por deixar de sentir “culpa”, porque um dia também já culparam alguém. Se o fizeram, foi com a informação que possuíam e numa tentativa de ajudar.


Mais do que conseguir um culpado para o ziguezague da educação, é importante que dia, após dia, os pais deem o seu melhor, mesmo que o melhor de hoje seja pior que o de ontem.


A parentalidade é uma escalada de tentativa e erro, de resiliência, de “um passo prá frente e dois pra trás, dois passos para a frente e um para trás…” e, desta forma, são criados seres humanos felizes e certos de, que viver pode ser uma aventura divertida!



64 visualizações0 comentário

Posts Relacionados

Ver tudo

Como atuar quando as crianças têm pesadelos frequentes?

Como foi referido num artigo anterior, os pesadelos recorrentes em crianças podem ser causados por uma variedade de fatores, perante os quais é necessário atuar com sensibilidade e cuidado, de forma a

Hozzászólások


bottom of page