• Alexandra Gomes

A Educação Parental como o desafio de uma dupla de sucesso

A educação parental é um dos grandes desafios de todas as mães e de todos os pais que, diariamente dão o seu melhor, ainda que o seu melhor num determinado dia não seja o melhor de todos os dias.


Não poucas vezes, o stresse a que mãe e pai estão sujeitos, pela multiplicidade de papéis que desempenham, aliado à responsabilidade por seres tão especiais e únicos como os seus próprios filhos, faz com que sentimentos de frustração e incapacidade se apropriem de si e os façam sentir não os pais que esperavam ser, com a tolerância que desejavam ter.

A realidade é esta: cada dia é um desafio na parentalidade e, se um dia os pais se sentem os melhores, no dia seguinte, sentem-se os pais mais medíocres do mundo.


Ora, quando pai e mãe funcionam como uma equipa, as responsabilidades são partilhadas, as eventuais culpas disseminadas e as vitórias celebradas a uma só voz.


A questão é que, de um modo geral, as mães, ainda que anseiem por fazer parte desta dupla de sucesso, têm tendência a antecipar-se e fazer, “adiantar serviço”, serem proativas, talvez um pouquinho de mais, não dando a oportunidade aos pais de fazerem. Logo desde o nascimento da criança, as mães sentem-se, e com todo o merecido mérito, as grandes guerreiras que tomam as rédeas da parentalidade, não permitindo que os pais tomem também as rédeas da educação parental e não criando a necessidade nos pais de o fazerem.


Talvez aqui a palavra-chave seja “confiança”.


Como refere a terapeuta parental Marta Coelho, a educação parental é das maiores parcerias da vida e não uma maratona individual. Cada um, pai e mãe, tem ao seu dispor os recursos necessários para diariamente dar o seu melhor como pai e mãe extraordinário que é. Se as mães não permitirem aos pais serem verdadeiros pais, desconfiando das suas capacidades e adiantando-se quase impulsivamente da educação, esta torna-se um desafio desprovido de Amor e Confiança, os maiores alicerces para a formação de um ser maravilhoso presente em cada criança!

70 visualizações0 comentário

Posts Relacionados

Ver tudo

O nascimento de um filho representa o desejo de o fazer feliz, tranquilo e distante de todos os perigos. Os pais temem pela sua felicidade e a vontade de sentir as dores pelos filhos é inigualável. A

A ansiedade é um estado de preocupação intenso e duradouro com algo que possa vir a acontecer. No final do ano letivo, a preocupação, transversal à maioria dos alunos, é o seu desempenho académico nos

A felicidade não é perene. Este é um facto. Por mais otimista que se queira ser, há alturas em que emoções como o medo, a tristeza, o desejo ou a angústia surgem na vida do ser humano. Estas emoções a