• Alexandra Gomes

A Empatia no desenvolvimento da Inteligência Emocional

A empatia é uma competência humana que integra o desenvolvimento da Inteligência Emocional. Segundo Adriana Vieira (2013), ser empático significa “ser capaz de identificar e compreender as emoções e os sentimentos do outro” (p.31), como se estivesse a vivenciar a mesma situação.


A empatia é a capacidade de ver o mundo pelos olhos do outro é considerar a existência de outras possibilidades para além do nosso ponto de vista e aceitar como sendo uma forma adequada de o fazer.


Neurologicamente, esta competência é intrínseca ao ser humano, uma vez que à medida que se vai conhecendo uma pessoa, naturalmente vai sendo possível compreender o que sente essa pessoa e porquê.


Ser empático não significa aceitar os sentimentos e os pensamentos do outro, mas percebê-los e acolher que há diferentes formas de sentir e pensar o que nos rodeia.


Sendo uma competência da Inteligência Emocional, ao sermos empáticos desenvolvemos a autoconfiança – reforço da Inteligência Intrapessoal – e consequentemente permitimos a criação de laços fortes no relacionamento com o outro – Inteligência intrapessoal.


Como refere Carl Gustav Jung, “Conheça todas as teorias, domine todas as técnicas, mas quando tocar uma alma humana, seja apenas outra alma humana”.

76 visualizações0 comentário

Posts Relacionados

Ver tudo

“Trata o outro como gostarias que te tratasse a ti”. Este é um princípio humano fundamental na conduta empática e assertiva. Deste princípio advém uma outra premissa, igualmente importante, para a for

Acontecimentos intensos como um dia de aulas mais difícil, um professor menos tolerante, refeições tomadas apressadamente, aquele colega que escolhe “o melhor” momento para aborrecer, as disciplinas m

A realidade, sobretudo desde os últimos dois anos, reflete uma situação além do expectável pela humanidade, o que a faz sentir-se sem recursos para gerir as situações de forma equilibrada e é geradora