• Alexandra Gomes

Aceitar as emoções

Quantas expressões cercam a criança, o jovem, o adulto, numa tentativa de reprimir as suas emoções mais dolorosas?

“Os soldados não choram…”


“Quero dizer-lhe o quanto a amo, mas não o faço…”


“Não chores…”


“Rapazes não choram…”


“Expressares prazer em relação aos réus feitos é a manifestação de um orgulho inconveniente…”


Um sem número de expressões que, desde os primeiros anos de vida ensinam as crianças a suprimir as próprias emoções, para esconder a dor. Desta forma são criados os perfecionistas que rejeitam todos os desvios emocionais, perspetivam a vida como uma euforia constante e rejeitam as emoções dolorosas. Estes aprendem a esconder e suprimir as emoções e os sentimentos agradáveis ou dolorosos e é difícil desconstruir as crenças matriz e por isso abrir-se às correntes das emoções.

No entanto, segundo Golda Meir” aqueles que não sabem chorar com todo o coração também não sabem rir. Assim, é importante sentir e expressar as próprias emoções, chorar quando precisa, partilhar os sentimentos com os amigos ou até escrever sobre os sentimentos no seu diário.


Negar-se a sentir as emoções indesejadas é prejudicial para o próprio bem-estar, danifica a autoestima e agrava sintomas depressivos. Assim, há que aceitar e expressar as emoções negativas.


Ao aceitar as próprias emoções como são e estar verdadeiramente disposto a viver com elas significa aceitar as emoções dolorosas mesmo quando elas persistem para lá da própria vontade. A aceitação genuína tem a ver com o aceitar que se está perturbado e a seguir aceitar que isso não significa que se sinta melhor mas que a emoção também passa e acolhendo esta emoção, dissemina-a e dá lugar a uma nova emoção positiva.

277 visualizações0 comentário

Posts Relacionados

Ver tudo

A importância do brincar no desenvolvimento infantil

As brincadeiras têm um papel muito importante na vida das crianças, pois, entre vários motivos, contribuem para a promoção do seu desenvolvimento psicoemocioal. Por isso, é muito importante que todas

Uma emoção em crise: Amor-Próprio

O Amor-Próprio significa ter estima e confiança por si próprio e é fundamental para criar uma relação saudável com o próprio e com o outro. Quando se sente esta emoção, tão presente na própria vida, s

Gostar de estudar…. Acessível a todos

Embora “estudar” seja um conceito muito vago e, várias vezes, de difícil “digestão”, a realidade é que, por algum momento, qualquer um gostou (ou gosta) de estudar. Há sempre algo que suscita interess