• Alexandra Gomes

Aprender divertidamente!

O outono chegou e com ele os dias mais pequenos e menos solarengos! O cenário perfeito, portanto, para se usufruir de momentos de qualidade, em família, no conforto do lar.


É nestes dias que surge a vontade em recorrer aos tradicionais jogos de tabuleiro. São esses mesmos jogos que podem ser adaptados e reutilizados para desenvolver novas competências nas crianças!


De entre os vários jogos, são apresentados, em seguida, alguns bem pedagógicos e divertidos para toda a família!


Jogo da Memória

É conhecido o objetivo central deste jogo: trabalhar a memória e encontrar os pares.

No entanto, através do Jogo da Memória é também trabalhada a consciência fonológica da criança e desenvolvida a sua capacidade de atenção. Especificamente, ao nomear as imagens dos cartões, deve ser pedido à criança que:

- Identifique as sílabas que compõem a palavra – desenvolvendo a segmentação silábica;

- Diga os sons que constituem as diferentes sílabas – adquirindo a noção de segmentação fonémica;

- Assinale as letras que formam a palavra – conhecendo o nome das letras;

- Coloque os pares de imagens formadas por ordem alfabética – trabalhando a sequência alfabética.

Jogo do Loto

O Jogo do Loto, ao fazer corresponder o número que sai aos números que estão no cartão, ajuda a desenvolver o raciocínio lógico-matemático da criança. Para além desta habilidade podem ser também desenvolvidas outras competências como as noções de dezena e unidade (“O número 89 tem quantas dezenas e quantas unidades?”) e de maior e menor entre os vários números que vão saindo (“Qual é o número maior: 25 ou 54?”).

Construção de Legos

Os tradicionais Legos podem servir de oportunidade para trabalhar a noção de cor, pedindo para construírem uma figura com cores específicas. É igualmente interessante pedir para construírem uma figura igual à do manual e desta forma permitir que seja desenvolvida a perceção e a organização viso-espacial da criança.


Estes são alguns dos muitos jogos, a partir dos quais são desenvolvidas outras habilidades, para além, das identificadas nos objetivos do jogo.


Os pais podem ser os facilitadores de momentos de aprendizagem informais, pensando para além do que é esperado, inovando, surpreendendo e educando as crianças, através da criação de momentos de brincadeira específicos.

Importante é pensar em diferentes objetivos, de acordo com a competência-chave que se queira desenvolver, através dos jogos e assim ser testemunho de uma aprendizagem saudável, prazerosa e tranquilizante para a criança.

64 visualizações0 comentário

Posts Relacionados

Ver tudo

Dicas para a promoção da autoestima infantil

A autoestima é uma qualidade do Ser Humano com muito impacto na forma como este se sente e relaciona com os outros. Por ser tão importante ter essa qualidade consolidada, é um dever dos pais/educadore

“Educar o Pensamento”, segundo Javier Urrai

O Psicólogo e Pedagogo, Javier Urra, na sua obra, “O Pequeno Ditador” (2007), refere a importância da capacidade das crianças em manusear os próprios pensamentos. Segundo o autor, ao serem incapazes d