• Joana Bastos

Bem-estar Vocal dos Professores

A voz é muito importante para o professor, uma vez que o professor é um profissional da voz por excelência. O professor utiliza a voz para ensinar, orientar os alunos, demonstrar atenção e carinho, e é o principal recurso para a transmissão do conteúdo da aula.


O professor usa a voz constantemente, no entanto é raro que algum professor tenha oportunidade de aquecer ou preparar a voz para comunicar na sala de aula. Além disso, a voz, para ser eficaz deve contar com condições ambientais favoráveis que potenciem a projeção vocal, o que frequentemente não acontece em grande parte das escolas. Dessa forma, o professor tem frequentemente problemas vocais.


É muito importante uma boa condição da saúde em geral para ajudar ao bem-estar vocal e a preservar a voz. Algumas estratégias a ser utilizadas no dia-a-dia passam por controlar o período de uso da fala, ter cuidado com o tom (agudo ou grave) e com a intensidade da voz (fraca ou forte), incluir pequenos intervalos de repouso vocal, hidratar-se frequentemente com água a temperatura ambiente, e diminuir a competição com outros ruídos (conversas na sala de aula e barulhos externos). O professor deve procurar perceber quais os fatores que mais prejudicam a sua voz e fazer por controlá-los, de forma a diminuir o seu impacto e assim evitar que surja um problema vocal.


O que prejudica a voz inclui falar demasiado e abusar da voz quando se está doente, cansado, com crises alérgicas, com gripe ou constipação, em ambientes adversos ou quando se está stressado. O tabaco e o álcool são reconhecidos como prejudiciais à saúde em geral, mas particularmente, prejudicam imenso a voz.


De forma que o professor saiba se tem ou não um problema de voz, deve tentar perceber se a sua voz se modificou nos últimos tempos, se a sua voz durante a época de férias é muito melhor do que durante o período letivo, se sente que faz esforço para falar, se no fim do dia a sua voz está pior, fraca, rouca e cansada, se sentiu necessidade de alterar a sua forma de lecionar devido a dificuldade em falar por causa da voz, se fala menos, se sente incómodo ao falar ou se os outros o questionam sobre o que se passa com a sua voz. Se alguma destas situações acontecer, é possível que o professor esteja com algum problema vocal que deverá ser avaliado pelo Médico Otorrinolaringologista e encaminhado para Terapia da Fala.


O professor pode seguir alguns conselhos a fim de manter a sua voz saudável:

  • Reduzir a intensidade de fala,

  • Introduzir pequenos intervalos de repouso vocal,

  • Procurar falar com voz normal (nem muito grave, nem muito aguda),

  • Ingerir 2 litros de água diariamente, a temperatura ambiente,

  • Falar mais devagar e pausadamente,

  • Abrir a boca e articular bem os sons, pois melhora a colocação e projeção vocal,

  • Fazer variações vocais para agudos e graves dentro do tom confortável,

  • Efetuar exercícios de aquecimento vocal antes das aulas,

  • Estabelecer contacto visual com os alunos, ao invés de falar virado para o quadro,

  • Soltar a voz e manter a sensação de relaxamento enquanto fala,

  • Respirar bem, para que não seja necessário inspirar tantas vezes,

  • Eliminar o pigarro, consciencializar-se de que é um abuso vocal e diminuí-lo, poderá tossir sem voz ao invés de pigarrear,

  • Evitar a forte intensidade e a gargalhada tensa,

  • Usar o grito apenas em situação de emergência: usar gestos e objetos que façam barulho, tais como o apito, as palmas ou o apagador,

  • Controlar a postura, mantendo a coluna direita, o corpo sem tensões e relaxar os joelhos,

  • Controlar o excesso de cafeína, ingerir água, substituir o chá preto pelo chá de flores ou frutas.


Quando o professor está rouco, a melhor atitude seria descansar o corpo e a voz, mas nem sempre isso é possível.

Se realmente o professor precisar de dar aulas quando está rouco, deverá usar a fala com um volume mais baixo, mas sem sussurrar, pois isso pode constituir um esforço adicional, uma vez que as cordas vocais ao sussurrar estão em esforço, pois nem estão em descanso nem estão em ação, estão em esforço para conseguir produzir voz numa posição intermédia. Desta forma, o professor deve falar mais lentamente e com mais variações de entoação, usar frases curtas, desenvolver atividades com os alunos que exijam menos da sua voz e mais da participação dos alunos, para que o professor descanse a voz e consiga manter-se hidratado.


Nesta situação de rouquidão da voz do professor, poderá ter como consequência uma perda definitiva da voz, apesar de ser praticamente impossível. Porém, uma sobrecarga contínua num professor rouco e cansado vai fazer com que a voz fique cada vez mais comprometida e o esforço necessário para lecionar seja cada vez maior.


Assim, é aconselhável procurar ajuda logo que se aperceba de alguma alteração vocal. Prevenir os problemas de voz é o maior aliado do professor para desenvolver uma carreira de docente duradoura e satisfatória. Ser professor é uma das profissões mais nobres e o recurso à comunicação é o principal meio para chegar aos alunos

76 visualizações0 comentário

Posts Relacionados

Ver tudo

Algumas vezes, na vida, para se ter sucesso pessoal, são necessárias mudanças e viver de acordo com os próprios princípios. Não poucas vezes é necessário reiniciar e começar de outra forma mais leve e

Neste regresso às aulas, numa época em que cada vez mais se apela à sensibilidade humana para cuidar do nosso lindo Planeta Azul, é importante aplicar o já conhecido Movimento de Bea Johnson “Zero Was

As férias estão a terminar e o regresso à escola e ao trabalho está a chegar. Regressar às rotinas, acordar cedo, cumprir horários, andar acelerado, é uma realidade pela qual quase todos passam e nem