• Alexandra Gomes

Brain Gym: movimentando-se para o sucesso

Na década de 80, os Educadores Paul e Gail Dennison, concluíram que o movimento, a cognição e a aprendizagem estão relacionados entre si. O movimento ativa estruturas neurológicas responsáveis pela otimização de competências cognitivas e, consequentemente, da aprendizagem escolar.


Segundo os autores, a prática de movimentos sequenciados, tão lineares como rastejar, desenhar, representar símbolos no ar, bocejar, beber água, entre outros, cria conexões sinápticas, facilitadoras da evocação dos conteúdos – recordação.


Através da realização de centenas de estudos-piloto com indivíduos de todas as idades, concluiu-se que os movimentos realizados se organizam numa sequência repetitiva de 26 atividades da Brain Gym International® - conhecida como Fundação de Cinesiologia Educacional – com a duração de cada atividade de 1 minuto, aproximadamente. A realização destes movimentos, de acordo com esta sequência, permite a otimização dos processos de assimilação, armazenamento e evocação dos conteúdos transmitidos.


Embora o sistema Brain Gym® ainda seja condicionalmente aceite por parte da comunidade educativa, dados os parcos estudos científicos ainda existentes, o método tem apresentado resultados promissórios em várias modalidades educativas, desportivas e de negócios nos Estados Unidos, no Canadá e é bastante utilizado em escolas britânicas.

117 visualizações0 comentário

Posts Relacionados

Ver tudo

Dicas para a promoção da autoestima infantil

A autoestima é uma qualidade do Ser Humano com muito impacto na forma como este se sente e relaciona com os outros. Por ser tão importante ter essa qualidade consolidada, é um dever dos pais/educadore

“Educar o Pensamento”, segundo Javier Urrai

O Psicólogo e Pedagogo, Javier Urra, na sua obra, “O Pequeno Ditador” (2007), refere a importância da capacidade das crianças em manusear os próprios pensamentos. Segundo o autor, ao serem incapazes d

Quando as crianças veem o que os adultos não conseguem

A mente curiosa necessita estímulos de todos os tipos para sobreviver, assim não coloquemos limites a seus olhares. (a.d.) As crianças têm maior capacidade de “ver o mundo” que os adultos. Entre vário