• Alexandra Gomes

Brain Gym: movimentando-se para o sucesso

Na década de 80, os Educadores Paul e Gail Dennison, concluíram que o movimento, a cognição e a aprendizagem estão relacionados entre si. O movimento ativa estruturas neurológicas responsáveis pela otimização de competências cognitivas e, consequentemente, da aprendizagem escolar.


Segundo os autores, a prática de movimentos sequenciados, tão lineares como rastejar, desenhar, representar símbolos no ar, bocejar, beber água, entre outros, cria conexões sinápticas, facilitadoras da evocação dos conteúdos – recordação.


Através da realização de centenas de estudos-piloto com indivíduos de todas as idades, concluiu-se que os movimentos realizados se organizam numa sequência repetitiva de 26 atividades da Brain Gym International® - conhecida como Fundação de Cinesiologia Educacional – com a duração de cada atividade de 1 minuto, aproximadamente. A realização destes movimentos, de acordo com esta sequência, permite a otimização dos processos de assimilação, armazenamento e evocação dos conteúdos transmitidos.


Embora o sistema Brain Gym® ainda seja condicionalmente aceite por parte da comunidade educativa, dados os parcos estudos científicos ainda existentes, o método tem apresentado resultados promissórios em várias modalidades educativas, desportivas e de negócios nos Estados Unidos, no Canadá e é bastante utilizado em escolas britânicas.

121 visualizações0 comentário

Posts Relacionados

Ver tudo

O Coaching é uma ferramenta que ativa em cada um a definição e a consecução de objetivos e aplica-se em vários contextos, tem múltiplos destinatários e diverge em múltiplos objetivos. Especificamente

Com a entrada no 1º ano de escolaridade é frequente ouvir comentários sobre a distração das crianças, sobretudo na sala de aula. A realidade é que, a capacidade de concentração não é espontânea; adqui

As férias estão a terminar e o regresso à escola e ao trabalho está a chegar. Regressar às rotinas, acordar cedo, cumprir horários, andar acelerado, é uma realidade pela qual quase todos passam e nem