• Alexandra Gomes

Como foi o teu dia?

Uma das inquietações comuns entre os pais é o discurso monossilábico das crianças relativamente às questões relacionadas sobre o dia passado na escola. Em resposta à questão “Como foi o teu dia?” a resposta é quase sempre “Foi bom”, ou “O teu dia correu bem?”, a resposta é “sim” … e, desta forma, os pais, atarefados com o fim do dia, mas a fazer por estarem presentes, mesmo nesse cansativo fim do dia, vão exercendo a sua parentalidade.

A fim de evitar o silêncio ou a parca manifestação verbal da criança perante tais questões, o Centro Sei (http://www.centrosei.pt) propõe a colocação de algumas questões que ajudam a iniciar o diálogo com as crianças. Estas questões são:

  1. Fazer perguntas mais estruturadas. Em vez de uma questão do tipo “Como correu o teu dia?”, opte por perguntar “Qual a melhor coisa que fizeste na escola hoje?”

  2. Falar sobre os factos que rodeiam a criança. As crianças têm mais dificuldade em responder a questões descontextualizadas. Por isso, ajuda a colocação de questões com resposta intencional; fazer uma observação prévia à colocação da questão. Por exemplo: “Eu sei que tens mais meninos na turma. Fala-me lá…quem são eles? Como são?”

  3. Ativar a modelagem e partilhar algo sobre si próprio. É enriquecedor para uma conversa que haja uma partilha de ambas as partes, mesmo que a partilha dos pais para os filhos, seja ajustada à idade e ao nível desenvolvimental da criança.

  4. Fazer perguntas positivas. Mesmo que seja sobre um assunto mais desconfortável ou negativo, devem ser colocadas questões de forma positiva, para que mais facilmente a criança expresse as suas preocupações.

  5. Questões a colocar para iniciar conversas depois da escola:

  • Qual a melhor coisa que fizeste na escola? (ao invés de A escola correu bem?)

  • Qual foi a coisa mais divertida/interessante que a professora ensinou hoje? (ao invés de A professora ensinou bem?)

  • Que trabalhos de casa tens hoje para fazer? Quais os que te parecem mais interessantes? (ao invés de Tens trabalhos de casa?)

  • Mesmo com o recurso e a utilização de questões facilitadoras, importa recordar que, tal como alguns adultos, nem todas as crianças conseguem ou gostam de partilhar o que acontece na escola. Por vezes, também as crianças não têm vontade de conversar e, de vez em quando, deve ser respeitada essa escolha.

  • É importante que o adulto saiba quando parar de fazer perguntas e deixar para uma nova oportunidade. Exceto quando o assunto é urgente e inquietante para os pais, então a formulação de perguntas deve ser direta e perspicaz.

86 visualizações0 comentário

Posts Relacionados

Ver tudo

Três “Presentes” dos pais para os filhos

Os pais, com todo o Amor que sentem pelos filhos, garantem que estes tenham acesso a tudo aquilo que precisam para estarem felizes e terem um desenvolvimento saudável. O desafio surge quando, o que ac