• Alexandra Gomes

Como gerir o uso da internet nas férias escolares

Nos dois últimos anos de pandemia, o recurso à internet tornou-se uma espécie de “boia de salvamento”, uma janela para o mundo de todos, confinados na fuga a um vírus que ainda continua a matar indiferenciadamente um número significativo de pessoas.

Com os mais novos, o recurso aos ecrãs e à internet também se agudizou para poderem estar integrados nesta forçada nova metodologia de ensino. E realmente, em tempo letivo, mesmo com as aulas presenciais, correndo o risco de voltar a estar em quarentena, o uso da internet foi massivo e imprescindível.

Com as férias escolares é comum que a internet se torne uma continuidade, desta vez de lazer, mas limitando o tempo para outras atividades. No entanto, também são comuns as implicações negativas do uso indiferenciado de ecrãs, sobretudo ao nível do desenvolvimento neuro emocional, psíquico e social das crianças.

A fim de minimizar este impacto, apresentam-se algumas dicas para os pais regularem o uso da internet nas férias escolares. Estas dicas traduzem-se nos seguintes procedimentos:

  1. Controlar o acesso das crianças à internet. O uso da internet faz parte do quotidiano e, por isso, parece utópico proibir integralmente as crianças de usarem os ecrãs. No entanto é fundamental controlar o acesso das crianças a esta ferramenta. Inclusive, encontram-se disponíveis várias plataformas educativas e lúdicas para a criança.

  2. Estabelecer um horário para o uso da internet nas férias escolares. Mesmo que as férias escolares impliquem a flexibilização dos pais nalguns horários como o despertar, o deitar ou até as horas de algumas refeições, estes devem ter garantido o estabelecimento de um horário para o uso da internet e o restante tempo para outras atividades.

  3. Incentivar atividades que envolvam a família. Para desfocar do recurso desmedido à internet, os pais devem oferecer alternativas que ocupem a cabeça das crianças neste período de férias: ler um livro, ver um filme, fazer exercício, convidar amigos para casa, com uma condição…internet não é bem-vinda.

  4. Estimular a prática desportiva. Esta dica não implica a inscrição num ginásio ou em aulas estruturais. Talvez seja a grande oportunidade para todos os elementos investirem em atividades quotidianas como andar de bicicleta, fazer uma caminhada, correr no parque, brincar…

Em suma, para a criança saber gerir este mundo digital é necessário ensiná-lo a navegar com segurança, descobrir novos sites e novas aplicações promotoras do conhecimento e incentivá-la na direção de uma rotina pessoal saudável.

161 visualizações0 comentário

Posts Relacionados

Ver tudo

O nascimento de um filho representa o desejo de o fazer feliz, tranquilo e distante de todos os perigos. Os pais temem pela sua felicidade e a vontade de sentir as dores pelos filhos é inigualável. A

Nesta altura do ano, as crianças e os jovens das escolas portuguesas encontram-se em época de testes e exames. Esta fase é um desafio, não só para eles como para quem reside com eles. Acrescido ao que

Quem disse que era fácil educar, não o fez com a melhor das intenções! Educar é tão apaixonante, como desafiante, por isso, começar por assumir que educar é uma arte complexa e inacabável permite que