• Alexandra Gomes

Educar é…

Educar é um desafio diário.


Educar tem data de início definida, mas indefinida data de fim.


Educar é muito mais (simples) do que prestar os cuidados básicos.


E ainda bem!


Educar é tão maravilhosamente simples como permitir que as crianças sejam crianças. É dar-lhes tempo para serem crianças. E ser criança é tão simples…


A criança não precisa de brinquedos caros ou sofisticados, com manuais de instruções, que mais não fazem do que limitar o seu pensamento.


As crianças precisam de movimento, de ação, de descobrir, de socializar, de genuinamente rir, chorar e voltar a rir.


Estes, foram meses de castração infantil, em que a oportunidade de socialização foi fortemente condicionada, pela Pandemia que insiste em permanecer entre nós.


Educar é voltar a permitir que as crianças realizem atividades físicas de forma livre, sem grandes planos ou orientações.


Educar é possibilitar as crianças reencontrarem a sua essência, através do contacto com a natureza, seja pelas montanhas que veem, pelos pássaros que ouvem, pelas flores que cheiram, pelas árvores que abraçam…


Educar é possibilitar que as crianças conheçam monumentos, visitem museus e descubram novas terras.


Educar é também impedir… impedir que, nestas férias, o contacto com os ecrãs, com os comandos, com as novas tecnologias seja limitado.


Educar é assim dar liberdade às crianças para serem quem verdadeiramente são! /

177 visualizações1 comentário

Posts Relacionados

Ver tudo

A adolescência é uma das fases desenvolvimentais que mais ajustes exige na parentalidade. É esperado que os pais consigam acompanhar todas as mudanças que caracterizam esta fase, particularmente o des

A capacidade das crianças em socializar e o conhecimento que têm sobre o valor da amizade advém do exemplo dos pais. Estes devem escutar as crianças, saber o que precisam, como se sentem e como atuam