• Alexandra Gomes

Educar pelo exemplo…do esforço

“Educamos por quem somos e não pelo que dizemos”


Esta premissa é transversal numa educação de sucesso, coerente e integrativa. O coach Alfredo Leitei defende que os adultos devem “tentar sempre ser o exemplo. Mas o exemplo de esforço, não da perfeição; o exemplo de quem tenta, não de quem é infalível”.

Neste sentido, Alfredo Leite propõe algumas atividades/rotinas que os pais podem (e devem) realizar com os filhos, as quais representarão importantes lições de vida.

  1. Jogar dominó. O jogo do dominó pode ser adaptado para ensinar uma grande lição de vida às crianças. Ao colocar as peças de dominó, em pé e em fila, quando a primeira for derrubada com um toque, as outras peças logo são derrubadas. Este exemplo é uma boa metáfora de ensino às crianças sobre as consequências dos comportamentos (ao invés de castigos ou recompensas). Tal como acontece com os adultos, os comportamentos têm consequências, umas vezes positivas, outras vezes negativas.

  1. Jogo “O Rei Manda”. Tal como neste jogo, também na vida, existem situações onde alguém (por exemplo um adulto em que os pais confiam) está em posição de liderança e as crianças devem obedecer às suas indicações. É o exemplo dos professores, dos auxiliares e de outros adultos que devem ser respeitados por elas.

  1. Era uma vez “um menino que recebeu um papagaio no Natal. Não era daqueles papagaios que falavam, mas daqueles que se soltam no céu. O pai prometeu que na manhã seguinte iriam ao parque soltar o papagaio ao vento. Entusiasmado com o dia seguinte, o menino demorou a adormecer… Na manhã, bem cedo, lá foram. Mas naquele dia não havia vento. Por mais que corressem, o papagaio não voava. O pai estava mais triste do que o menino. Ao ver o seu pai assim, o menino disse: pai, nem sempre podemos ter o que queremos. Não há vento. Amanhã tentamos outra vez. Agora vamos brincar a outra coisa”. Tal como o filho disse ao pai, também os adultos devem ser imperativos e evitar as explicações. Na vida também há dias sem vento. É a vida.



  1. Fazer a barba em frente ao filho ou usar facas afiadas na cozinha em frente aos filhos. Deixá-los ver é uma ótima oportunidade para falar aos filhos dos perigos desses e de outros objetos, quando mal utilizados. Impedir que as crianças vejam os objetos perigosos é contraproducente, pois “o que resiste persiste”. Claro que o papel dos pais é também guardar as facas em locais seguros.

  1. Apagar as luzes e pegar numa lanterna. Apontar para os diferentes objetos da sala e quando estes ficam iluminados dizer o nome deles. Desta forma a criança compreende que a atenção é como um foco: deve-se tentar focar onde se quer. E deve-se tentar focar no que contribui para o crescimento, tal como no esforço, na força e nas qualidades. Este é um bom exercício para ajudar a criança a descobrir as próprias forças.

Ao educarem pelo exemplo da aprendizagem, mesmo quando “erram”, formam-se crianças com capacidade de lidar com as mudanças, que aprendem a aprender e superam os obstáculos rumo à manutenção do bem-estar.

107 visualizações0 comentário

Posts Relacionados

Ver tudo

Três “Presentes” dos pais para os filhos

Os pais, com todo o Amor que sentem pelos filhos, garantem que estes tenham acesso a tudo aquilo que precisam para estarem felizes e terem um desenvolvimento saudável. O desafio surge quando, o que ac