• Alexandra Gomes

Estratégias para promover a concentração dos estudantes

Depois de um dia de escola e outros afazeres das crianças e dos jovens, estudar e/ou fazer os TPC’s pode ser uma tarefa hercúlea, pela sua dificuldade e pelo aborrecimento que daí derive.


Para alguns é mais fácil estudar ou fazer os TPC’s, logo que chegam a casa e depois ter tempo para o que lhes agrada fazer, mas para outros resulta melhor brincarem/descansarem primeiro e depois realizarem as tarefas escolares. De uma das formas está bem… desde que se faça e faça bem!


Para auxiliar nesta tarefa desafiante apresentam-se algumas estratégias que auxiliam a concentração nestas alturas.


1. Criar um ambiente favorável à concentração: estudar num local calmo, silencioso e com o mínimo de distrações (longe de TV, telemóveis, playstation, …), com uma boa cadeira e luz abundante, preferencialmente luz natural. É desaconselhável estudar na cama ou no sofá.


2. Preparar previamente tudo o que precisa para estudar: ter à mão estojo, papel, livros e dicionários, para evitar levantar para ir buscar alguma coisa. No caso de não ser necessário, o computador deve estar afastado ou desligado.


3. Fazer intervalos curtos mas regulares: o tempo para apanhar ar fresco ou aproveitar para realizar uma tarefa que a mãe tenha pedido para fazer. Não “descansar” com a ida ao ecrã. A estimulação é idêntica e o cérebro não entende como sendo um intervalo.


4. Recorrer à Técnica de Pomodoro: Para as crianças/os jovens menos concentradas a Técnica de Pomodoro é uma excelente ferramenta. 1º Escolher a disciplina a estudar, 2º Marcar 25 minutos, 3º Estudar essa disciplina, 4º Descansar 5 minutos. Após 4 Pomodoro, fazer uma pausa longa, de 15 a 30 minutos.


5. Ter snacks saudáveis por perto: ter nozes ou uma maçã e sempre uma garrafa de água ou de chá, atua como um reforço de energia.


6. Desligar o telemóvel. Assim que acabarmos as tarefas podem ser lidas as mensagens e as notificações nas redes sociais.


7. Ouvir música calma: preferencialmente instrumental.


8. Mudar o tipo de tarefa/estimulação: se os primeiros 20 minutos foram a ler um texto, nos próximos 20 minutos, dever-se-á fazer exercícios mentais ou escrever uma composição, ativando outras zonas cerebrais.


9. Começar pelas tarefas mais difíceis/as que gostam menos: nesta altura a concentração é maior, tal como a motivação.


A adoção destas estratégias é mais fácil para uns e desafiante para outros. No entanto, cabe a cada aluno ajustá-las a si próprio e persistir na desafiante tarefa de estudar. Estes são novos hábitos que, após serem realizados alguns dias, tornam-se uma rotina que integram o dia a dia de cada um.

72 visualizações0 comentário

Posts Relacionados

Ver tudo

Com a entrada no 1º ano de escolaridade é frequente ouvir comentários sobre a distração das crianças, sobretudo na sala de aula. A realidade é que, a capacidade de concentração não é espontânea; adqui

As férias estão a terminar e o regresso à escola e ao trabalho está a chegar. Regressar às rotinas, acordar cedo, cumprir horários, andar acelerado, é uma realidade pela qual quase todos passam e nem

O ruído é estimado uma das variáveis mais nefastas do ambiente e é considerado uma das principais causas das doenças socioprofissionais, provocando cerca de 70 000 acidentes de trabalho por ano[i]. Pa