• Alexandra Gomes

O que fazer quando a Criança ou o Jovem são vítimas de Cyberbullying

O Cyberbullying pode ser um dos tipos de “ataques online” mais destrutivos que existe. Os Cyberbullies, usualmente passam-se por outras pessoas e aproveitam-se das suas inseguranças e vulnerabilidades para humilhá-las e atacá-las psicologicamente.

Perante situações de Cyberbullying os pais devem, antes de mais: manter a calma, controlando as próprias emoções e evitar reagir de forma impulsiva, não culpar a criança ou o jovem pelo sucedido e não proibir o uso das TIC, situação que irá agudizar os comportamentos das crianças/dos jovens, pela resistência ao seu uso. É essencial que as crianças/os jovens sintam confiança nos adultos para denunciar possíveis agressões ou ameaças que estejam a sofrer.


Para além destas, existem outras medidas que os adultos devem adotar para com as crianças e os jovens:


- Oferecer apoio e conforto à vítima, garantindo que a culpa não é dela e elogiá-la pela coragem em falar;


- Recordar que não está sozinha e que juntos encontrarão uma solução para o que está a passar;


- Levar as ameaças e sério, demonstrando empatia pelo que a vítima está a passar. Ouvir as suas queixas e estar atento aos sinais emocionais, não a deixando sofrer em silêncio.


- Guardar as provas, recorrendo a capturas de ecrã, impressões ou fotografias das mensagens que demonstrem atos de Cyberbullying, ajudem a identificar os agressores e sirvam de elementos de prova.


- Bloquear e denunciar os agressores. Deste modo, estes deixam de ter acesso às mensagens que comprovam as agressões. Os adultos devem, também, assegurar que alguém da sua confiança mantém o acesso a esse perfil ou mensagens para ajudar a documentar as agressões;


- Contactar as autoridades (PSP ou GNR – Escola Segura e Comissão de Proteção de Crianças e Jovens);


- Procurar ajuda especializada.


Infelizmente por variados motivos, o Cyberbullying vai continuar a existir. Por isso, ao adotar as medidas acima apresentadas, não só se pode evitar estas situações danosas, como interrompê-las quando são praticadas.


50 visualizações0 comentário

Posts Relacionados

Ver tudo

É transversal à maioria dos pais, a preocupação pelo futuro dos filhos, em detrimento da criação de bases do dia a dia. Verifica-se uma diretriz parental que defende que os filhos só devem obedecer, p

O autocontrolo emocional e comportamental, como foi referido num artigo anterior[i], é uma das premissas básicas para um desenvolvimento emocional equilibrado. Crianças com reduzido autocontrolo emoci

É do conhecimento comum que a forma como os pais educam e perspetivam os filhos influencia o tipo de adultos em que se tornam. Os filhos, enquanto crianças, absorvem tudo o que os pais falam, como se