• Alexandra Gomes

Os estudantes também procrastinam

O adiamento de tarefas e decisões é uma característica transversal a várias pessoas e não menos comum é manifesta pelos jovens.


A Procrastinação é um comportamento complexo e muito frequente entre as pessoas, especificamente em relação às tarefas da sua vida.


Segundo [i]Silver (1974), o tempo é perspetivado como uma armadilha potenciadora deste conceito. O autor considera que procrastinar está além do simplesmente evitar a tarefa, uma vez que se relaciona com a capacidade da pessoa prever o tempo necessário para completar a tarefa com sucesso, ponderando a relação custo-benefício na tomada de decisão.

Com os estudantes, este comportamento é também frequente e, por isso, uma fonte significativa de stresse pessoal, que afeta o seu desempenho académico e a sua saúde emocional. Segundo vários autores ([ii]Burka & Yuen, 1991; [iii]Ellis & Knaus, 1977), a procrastinação nos estudantes depende de fatores, tais como:


- Grau de dificuldade da tarefa;

- Medo de errar;

- Não identificação com a tarefa;

- Perfecionismo (“tenho que ser perfeito”; “é mais seguro não fazer nada do que correr o risco e falhar”).


No contexto académico, a procrastinação manifesta-se sob várias formas, entre elas o adiamento de tarefas, a discrepância entre manifestar a intenção em fazer a tarefa e efetivamente realizá-la, trocar essa tarefa por outras atividades e, simplesmente recusar-se a fazê-la pelo medo de falhar.

Independentemente do motivo que leva os estudantes à procrastinação, parece indispensável a adoção de medidas diretas sobre este comportamento, através do reajuste de programas curriculares e da concretização de medidas pedagógicas criativas e flexíveis ao encontro do tipo de aprendizagem de cada estudante.

[i]Silver, M. (1974). Procrastination. Centerpoint, 1,49-54. [ii]Burka, J.B. e Yuen, L.M. (1991). Procrastinação, (trad. Fernando Martins). São Paulo: Nobel. [iii]Ellis, A. e Knaus, J.W. (1987). Overcoming Procrastination. New York: Penguin Books.

12 visualizações0 comentário

Posts Relacionados

Ver tudo

A adolescência é uma das fases desenvolvimentais que mais ajustes exige na parentalidade. É esperado que os pais consigam acompanhar todas as mudanças que caracterizam esta fase, particularmente o des

A capacidade das crianças em socializar e o conhecimento que têm sobre o valor da amizade advém do exemplo dos pais. Estes devem escutar as crianças, saber o que precisam, como se sentem e como atuam