• Alexandra Gomes

Porque insistes em comportar-te assim?

“Porque insistes em comportar-te assim?”


Esta é uma questão transversal à maioria dos pais de adolescentes, quando assistem a comportamentos padrão dos seus filhos que antecipam resultados menos positivos.


Contudo, sabem que também é importante fazer coisas arriscadas e ridículas, que fazem parte do processo de aprendizagem de pais que já foram filhos e dos próprios filhos.


Segundo os adultos, variadas vezes os adolescentes adotam um “mau” comportamento e tomam decisões estranhas. Mas, tal como aconteceu com esses mesmos adultos, tudo o que fazem é para ganhar experiência e criar um ponto de referência para a vida adultai. Segundo a neurocientista Abigail Baird, são as decisões estranhas dos adolescentes, que lhes permitem tomar boas decisões no futuro. E é desta forma que aprendem a viver como adultos e adquirem as competências e capacidades necessárias para essa fase desenvolvimental.


A tentativa dos pais para que os adolescentes deixem de fazer coisas ridículas, embaraçosas e até arriscadas é compreensível mas é importante que os filhos experienciem a tomada de “más” decisões, corram riscos e tenham comportamentos que pareçam ridículos. Se não o fizerem não adquirem o conhecimento necessário para tomarem boas decisões no futuro.


A superproteção dos pais e o controlo excessivo têm um efeito negativo na vivência de experiências educativas que preparem o adolescente para a vida como futuro adulto.


Sem querer que seja um clichê, tudo o que acontece ao longo do desenvolvimento humano, acontece por alguma razão.

151 visualizações0 comentário

Posts Relacionados

Ver tudo

Três “Presentes” dos pais para os filhos

Os pais, com todo o Amor que sentem pelos filhos, garantem que estes tenham acesso a tudo aquilo que precisam para estarem felizes e terem um desenvolvimento saudável. O desafio surge quando, o que ac

(Ainda) a aprender a gerir a raiva: o papel dos pais

Na continuidade do artigo anterior, nem sempre é fácil regular a própria raiva e, quando sentida pelas crianças, esta dificuldade torna-se ainda mais evidente, mesmo que conheçam os procedimentos adeq