top of page
  • Foto do escritorAlexandra Gomes

As consequências negativas de uma educação com gritos


A educação parental requer competências como paciência, empatia, escuta ativa e comunicação assertiva. Estratégias como castigo, ameaças, chantagem e bater nas crianças não só não são métodos educativos, como prejudicam gravemente as crianças.


Muitas pessoas não consideram a educação sem gritar, sem “levantar a voz”, desconhecendo as feridas profundas que deixam na personalidade das crianças e o impacto negativo nos seus comportamentos. Ainda que em determinados momentos se corra o risco de “perder a paciência”, é importante estar consciente de que esta não é uma educação assente no respeito e na empatia.


Segundo a Psicóloga Patrícia Sanchez (2020), uma educação com gritos tem consequências negativas, muitas vezes irreversíveis, para o desenvolvimento das crianças.


1. Os gritos bloqueiam a amígdala da criança, condicionando a sua aprendizagem, ativando o modo de sobrevivência e impedindo a entrada de nova informação.


2. Os gritos provocam stress e insegurança. Quando lhes gritam, o organismo das crianças produz níveis elevados de cortisol, cuja função é colocar em alerta o cérebro quando recebe/antecipa uma ameaça. Quando a criança cresce num ambiente hostil, o seu cérebro recebe continuas ameaças em forma de gritos, castigos, palmadas e entra em estado de alerta contínuo que, por sua vez desencadeia ainda mais níveis de stress, medo, ansiedade e insegurança. Este permanente estado de alerta faz com que a criança viva em medo, desconfiada, assustada e com baixa autoconfiança.


3. Os gritos deixam mazelas na personalidade da criança, na fase adulta (distúrbios comportamentais, sintomatologia depressiva, etc.).


4. Uma educação deficitária. Os pais educam pelo exemplo e recorrendo à agressividade verbal (e não verbal), muitas vezes contradizem-se na transmissão de valores humanos. Os pais devem educar a partir do exemplo, ensinando-lhes que não se deve comunicar através de gritos e sim com respeito, educação e empatia.


5. Uma educação com gritos, ameaças, chantagem e agressividade física não gera filhos felizes, fazendo-os sentirem-se tristes, humilhados e magoados.


Por estes motivos, é muito importante a educação das crianças em amor, respeito e empatia, através da comunicação positiva e da escuta ativa. Desta forma tornar-se-ão adultos confiantes, resilientes e seguros nos desafios que vão superando na sua vida.

62 visualizações0 comentário

Posts Relacionados

Ver tudo

Como pode a escola formar alunos felizes?

A escola desempenha um papel crucial na formação de alunos felizes, não apenas fornecendo conhecimento académico, mas também promovendo competências sociais, emocionais e pessoais. Várias são as estra

Como gerir a pressão nos períodos de avaliação

Os períodos de avaliação representam um momento inquietante para os alunos e gerador de uma sintomatologia ansiogénica inevitavelmente prejudicial. Lidar com a pressão nos períodos de avaliação é desa

Comentarios


bottom of page