top of page
  • Foto do escritorAlexandra Gomes

Fazer da escola uma amiga (I)

A escola! Uma amiga para uns, mas dispensável para outros!


O que é certo é que a escola faz parte da vida da maioria das crianças e jovens portugueses.


Sendo vista como amiga, a escola é uma oportunidade incrível para aprender coisas novas, para fazer e divertir com os amigos, para viver novas experiências…


No entanto, torna-se um enfado e até dispensável, gerando expressões como “A escola é uma seca”, “Detesto a escola, Não quero lá voltar!”.


Ir à escola é importante, um facto para lidar. A frequência da escola é como um alicerce para construir um futuro mais sustentável. Por isso é relevante aprender a torná-la um pouco melhor para si próprio e divertir-se na mesma, tornando a escola uma amiga.


Passando grande parte do dia, durante a semana, 10 meses por ano na escola, a multiplicidade de experiências vivenciadas aumenta, sendo estas positivas ou negativas. Por isso, falar com pessoas de confiança como a mãe, o pai, um familiar, o professor ou o psicólogo da escola e essencial para ser ajudado.


Uma outra forma de expressar o que está a viver é desenhar ou escrever sobre o que está a sentir, sobre o vivido durante o dia.

Quando o problema reside na incapacidade de se concentrar, organizar ou acompanhar as matérias, o mais adequado é pedir ajuda aos professores ou ao psicólogo da escola. Esta também é a sua missão.


No final, o melhor é impedir que os problemas se arrastem durante muito tempo. Esperar que um dia se resolvam, pode nunca resolver-se.


89 visualizações0 comentário

Posts Relacionados

Ver tudo

Preparar as crianças para a chegada de Natal

A época que antecede o Natal, conhecida pela religião católica como o Advento, é também uma oportunidade para todos prepararem a chegada de um momento tão especial! Particularmente para as crianças, o

Uma escola que respeita as crianças

A Saúde Mental é um tema que tem sido abordado transversalmente nos vários contextos humanos, talvez porque a sua fragilidade também seja cada vez mais notada nesses contextos. Particularmente com os

Qualificar o tempo

Com a azáfama do dia a dia, o tempo torna-se um valor escasso. E esta escassez é sentida no cuidado próprio e no cuidado com os outros. Especificamente com os pais, mesmo cumprindo o “transporte” dos

Comments


bottom of page