• Pedro Botelho

As ilusões sobre a Alimentação Infantil – II Parte

O iogurte é uma sobremesa saudável

Este é mais um dos grandes mitos sobre alimentação infantil. O iogurte é, frequentemente, encarado como uma sobremesa saudável para as refeições principais.

Contudo, tendo em conta que o iogurte é um alimento rico em cálcio e que o cálcio é um inibidor da absorção do ferro contido na carne ou no peixe, facilmente se depreende que o momento imediatamente após uma refeição não será a melhor altura para ingerir iogurte.

A fruta, pelo contrário, principalmente aquelas mais ricas em vitamina C, como os citrinos, potenciam a absorção do ferro, sendo uma opção muito melhor para a sobremesa das crianças.

Além disso, os pais têm, por norma, bastante receio em dar às crianças iogurtes magros, visto que acham que elas ainda não têm idade suficiente para ingerir laticínios magros.

Como tal, os iogurtes que as crianças comem chegam a conter um teor muito elevado de hidratos de carbono e açúcar, o que torna esta opção relativamente desequilibrada.


Se a criança recusar o mesmo alimento duas vezes, não vale a pena insistir

Este é mais um dos mitos sobre alimentação infantil. Não deve desistir nem à primeira nem à segunda tentativa. É natural que a criança rejeite alguns alimentos quando os prova pela primeira vez, devido ao facto de e tratar de sabores novos e não ao facto de não se gostar do alimento.

Ainda assim, se a criança recusar um alimento, não pressione e tente de novo uns dias mais tarde.

A evidência científica mais recente tem demonstrado que é necessário tentar cerca de 8 vezes até se certificar que a criança não gosta mesmo.



Se a criança não come tudo o que lhe é servido, devo forçar a ingestão

É importante que não pressione o seu filho a comer. As crianças têm necessidades diferentes dos adultos e têm uma maior capacidade de respeitar a sensação de saciedade e os estímulos que o organismo lhes dá.

Desde que a criança esteja a crescer saudavelmente e de acordo com os percentis, não se deve preocupar que ela coma mais quantidade do que aquela que ela pede.

Por fim, não deve utilizar os alimentos como castigo ou recompensa. Quantas vezes se ouve “se comeres o peixe, deixo-te comer a sobremesa no fim”?

Este é um conceito errado que retira aos alimentos o seu valor real, atribuindo uma conotação negativa a determinados alimentos saudáveis como legumes ou peixe.


Todas as crianças deveriam tomar suplementos de vitaminas

Este é um dos maiores mitos sobre alimentação infantil. Na verdade, se a criança tiver uma alimentação saudável, variada e equilibrada, não necessita de qualquer suplemento, visto que consegue retirar dos alimentos as quantidades de vitaminas e minerais que necessita.

A única exceção poderá ser a vitamina D, uma vitamina importante na manutenção da saúde óssea e que é obtida através da dieta ou da exposição solar da pele.

De facto, estudos têm reportado uma deficiência nesta vitamina na população portuguesa, especialmente nas crianças.

Assim sendo, as crianças poderão estar em risco de aporte inadequado, podendo ser necessário recorrer à suplementação especialmente nos meses de inverno (com menor exposição solar).

Contudo, antes de dar qualquer suplemento ao seu filho consulte o seu médico ou nutricionista.




62 visualizações0 comentário

Posts Relacionados

Ver tudo

O Cálcio – elemento essencial para o crescimento

Continuando a nossa viagem pelos elementos que se configuram como indispensáveis para o crescimento na infância, hoje é a vez de falarmos sobre o cálcio. O cálcio é considerado essencial para o cresci

A Vitamina D e o seu papel fundamental no crescimento

A vitamina D tem como grande função a promoção da fixação do cálcio, solidificando a estrutura óssea. Este nutriente desempenha um papel estratégico na atividade de sistemas tais como o imunológico, o