• Pedro Botelho

As ilusões sobre a Alimentação Infantil – Parte I

Tal como na alimentação em geral, também sobre a alimentação das crianças circula, principalmente nos meios de comunicação social, muita informação errada, constituindo aquilo a que poderemos chamar de mitos ou ilusões sobre alimentação nas crianças.

Atualmente e apesar de não ser nos dias que correm a prioridade em termos de saúde pública, devido ao problema sanitário que desde há um ano a sociedade vive mergulhada, a obesidade infantil é um verdadeiro problema de saúde pública, sendo uma verdadeira epidemia mundial silenciosa à qual urge prestar-se verdadeira atenção. Neste sentido, é crucial desmistificar os erros sobre alimentação infantil que poderão estar a contribuir para o agravamento deste problema. No contexto do que já foi escrito nesta rúbrica não configura uma grande novidade, mas é sempre bom relembrar e sistematizar este tema, pois existem alimentos ou hábitos alimentares que muitos pais consideram saudáveis, que, no entanto, poderão estar a contribuir para o aumento de peso da criança.

Vejamos então quais as maiores ilusões associadas à alimentação nas crianças.


A ceia é muito importante

Após o nascimento, a criança demora alguns meses até adquirir um horário de refeições semelhante ao dos adultos. Mas, a partir dos seis meses, a ceia pode ser dispensada.

Não significa que tenha de ser proibida, mas apenas deve ser dada se a criança pedir ou se já tiver passado pelo menos 2 horas após o jantar, não devendo a criança ser acordada de propósito para comer ou “beber leite”.

Acresce a este fator a questão de que a ingestão noturna de qualquer alimento, incluindo o leite, fica na superfície dos dentes acabando por facilitar o aparecimento de cáries.



Sumos de fruta são tão saudáveis como a fruta

Um dos mitos sobre alimentação infantil mais comum. Muitos pais pensam que como a fruta é saudável, que os sumos de fruta são uma opção igualmente equilibrada.

No entanto, os sumos de fruta tendem a ter um valor energético superior, na medida em que podem ser constituídos por várias peças de fruta, e praticamente não contêm fibra, uma vez que esta se perde no processo de elaboração do sumo.


O ovo deve acompanhar a carne ou a peixe

Os ovos são excelentes fontes de proteína, pelo que não devem ser encarados como um acompanhamento da carne e do peixe, mas sim como um substituto.

É bastante frequente os pais acharem que uma refeição à base de ovos é insuficiente para satisfazer as necessidades nutricionais dos filhos, o que constitui um verdadeiro erro.

Assim, o ovo além de ser tão bom fornecedor proteico como a carne e o peixe, é também muito rico em minerais (como o ferro, selénio, fósforo) e vitaminas (vitaminas do complexo B, vitamina A, vitamina D e vitamina K), sendo, por isso, um alimento muito completo.


Os cereais são a melhor opção para o pequeno-almoço

Os cereais são muitas vezes a opção mais acessível e simples para o pequeno-almoço das crianças, visto que são rápidos de preparar e ingerir e existe sempre algum que seja do gosto da criança.

No entanto, praticamente todos os cereais infantis contêm uma grande quantidade de açúcar e/ou gordura, não sendo desta forma opções saudáveis para a criança começar o dia.

O pão ou as tostas são versões muito mais interessantes para o pequeno-almoço da criança.




67 visualizações0 comentário

Posts Relacionados

Ver tudo

O Cálcio – elemento essencial para o crescimento

Continuando a nossa viagem pelos elementos que se configuram como indispensáveis para o crescimento na infância, hoje é a vez de falarmos sobre o cálcio. O cálcio é considerado essencial para o cresci

A Vitamina D e o seu papel fundamental no crescimento

A vitamina D tem como grande função a promoção da fixação do cálcio, solidificando a estrutura óssea. Este nutriente desempenha um papel estratégico na atividade de sistemas tais como o imunológico, o