Alexandra_Gomes2019-removebg-preview.png

Agrupamento de Escolas de Albergaria-a-Velha

Inteligência

Emocional

Dr.ª Alexandra Gomes

Psicóloga

A importância do brincar no desenvolvimento infantil 

As brincadeiras têm um papel muito importante na vida das crianças, pois, entre vários motivos, contribuem para a promoção do seu desenvolvimento psicoemocioal.

Ler Mais...

Medos fantasmas e medos do coração 

Todos têm medo! Mesmo os que dizem que não o têm. Isto porque o medo é uma emoção básica e transversal a todos os seres sencientes! 

Há muitos medos, mais ou menos conscientes, mais ou menos amigos, mais ou menos (emocionalmente) saudáveis. 

Ler Mais...

Porque rir faz bem! 

A boa disposição é uma competência que deve ser compartilhada entre cada vez mais pessoas, contribuindo para um estado crescente de felicidade e bem-estar. 

Ler Mais...

As emoções e o sentido de moralidade  

As emoções, sejam elas positivas ou negativas, são comuns a todos os seres humanos e todas são para serem sentidas, acolhidas e jamais repreendidas. 

A avaliação moral – o juízo de que alguma coisa é boa ou má – pressupõe uma escolha. Onde não há escolha, não há base para a avaliação moral. 

Ler Mais...

Aceitação e não Resignação

Aceitar uma emoção não significa resignar-se a ela. Segundo o psicoterapeuta Nathaniel Branden, a disposição de sentir e aceitar os sentimentos não significa que as emoções devem ter a última palavra naquilo que se faz.

Ler Mais...

Saber Sentir na Adolescência 

Embora o no século XXI o conhecimento esteja tão avançado, as tecnologias estejam presentes no quotidiano e tanto se fale de novos conceitos e paradigmas, a Inteligência Emocional, um desses conceitos tão falados e defendidos, parece uma área não trabalhada entre os adolescentes. 

Ler Mais...

Como lidar com emoções negativas: curar a dor 

No artigo de Inteligência Emocional, intitulado “Experimentar a Variedade das Emoções”, perante a multiplicidade de emoções que o ser humano vivencia diariamente, este deve aceitá-las, abrir espaço para senti-las e organizá-las. 

Ler Mais...

As crianças e tolerância à frustração: como ensinar a fazê-lo

Cada vez mais, os pais recorrem ao Aconselhamento Psicológico com uma inquietação que os desestabiliza e antecipa algum sofrimento: a incapacidade das suas crianças lidarem com a frustração.  

Ler Mais...

A motivação como reflexo de Inteligência Emocional

A religiosa católica, Madre Teresa de Calcutá, afirma que “Não devemos permitir que alguém saia da nossa presença sem se sentir melhor e mais feliz”.  

Ler Mais...

O autocontrolo e o desenvolvimento emocional equilibrado 

O autocontrolo compreende a capacidade em ter uma atitude positiva e um elevado autoconhecimento, de forma a conseguir regular as próprias emoções, principalmente as negativas. 

Ler Mais...

Saber Gerir as Próprias Emoções: quais os Benefícios 

A gestão das emoções está relacionada com o desenvolvimento das habilidades comportamentais de cada um, trabalhando, assim, a própria Inteligência Emocional.

Ler Mais...

O grande desafio: ser feliz! 

A felicidade é um conceito complexo de definir e desde que o homem sapiens é sapiens, é motivo de reflexão, análise, inquietação e pesquisa.

Ler Mais...

(In)Voluntariamente Sentindo: Sensações, Emoções e Sentimentos

“As sensações e as emoções básicas são inatas, mas os sentimentos são construídos a cada momento pela mente.” 

Nem todos sentem da mesma forma… Comumente falando, há as pessoas mais “racionais” e as mais “emocionais”

Ler Mais...

Uma emoção em crise: Amor-Próprio 

O Amor-Próprio significa ter estima e confiança por si próprio e é fundamental para criar uma relação saudável com o próprio e com o outro.

 

Ler Mais...

Regulação emocional das crianças: aprender a lidar com a raiva

A multiplicidade de emoções permite distingui-las entre positivas e negativas. 

As emoções negativas – que provocam sensações desagradáveis e derivam de pensamentos negativos – tendencialmente geram atitudes menos corretas para com os outros.

Ler Mais...

Fazer um Luto saudável 

O psiquiatra Colin Murray Parkes, no seu trabalho sobre o luto, defende que as pessoas que não expressam as suas emoções após a morte de um ente querido sofrem sintomas físicos e psicológicos, mais severos e permanentes que as pessoas que “se vão abaixo” depois da sua perda. 

Ler Mais...

Quando a escolha passa por aceitar 

É difícil escapar às emoções. Elas surgem involuntariamente perante um estímulo e o pensamento daí consequente, podendo permanecer em cada um, mais ou menos tempo, e aí, de acordo com a intencionalidade de quem o sente. 

Ler Mais...

ansiedade infantil no regresso às aulas: como lidar com ela

O ano letivo está à porta! 

O tempo passado em família é reduzido, o despertar cedo, faça chuva ou faça sol, é um presente diário, o (re)encontrar colegas e amigos, o conhecer novos professores, são um apelo ao saber conviver.... 

Ler Mais...

Todas as crianças têm superpoderes 

Todas as crianças têm superpoderes, “forças desconhecidas”, como refere o Psicólogo Educacional Alfredo Leite. 

Esses superpoderes são diariamente camuflados pela exigência do racional, dos resultados escolares, fruto da memorização e da disciplina escolar. 

Ler Mais...

Experimentar a variedade de emoções humanas

Quando nasce um bebé, os pais vivenciam toda uma variedade de emoções, muitas vezes extremas. Experimentam alegria e medo, frustração e raiva, felicidade e irritação.

Ler Mais...

Mudar é possível: quais os passos seguintes?

Para uma mudança pessoal de sucesso, não basta uma intenção ou deixar de lutar contra si próprio. Claro que, como foi referido no artigo anterior, antes de qualquer mudança, é necessário que sejam dadas tréguas a si próprio.

Ler Mais...

A motivação como reflexo de Inteligência Emocional

A Inteligência Emocional, como foi referido em artigos anteriores, permite alcançar os objetivos, à medida que as emoções são compreendidas e reguladas.  

Ler Mais...

A Autoconfiança no Desenvolvimento da Inteligência Emocional

A autoconfiança, tal como a autoconsciência, é uma competência pessoal que contribui para o desenvolvimento da Inteligência Emocional. 

Ler Mais...

Inteligência Emocional e Superação dos períodos de crise 

Sabendo que a Inteligência Emocional é a habilidade em identificar, compreender, utilizar e regular a próprias emoções e as dos outros, com vista à sua sobrevivência e ao seu bem-estar, é categórica a necessidade de otimizar esta habilidade no quotidiano, em plena Era Pandémica.

Ler Mais...

Estratégias de promoção da Inteligência Emocional

Estamos rodeados de emoções. A experiência de vida é emocional. Não há vida sem emoções.
Estas são afirmações que justificam a importância da compreensão das emoções e do perfil emocional de si próprio e dos outros.

Ler Mais...

 Sentir também se aprende - 

 A Inteligência Emocional e a Educação em tempos de Pandemia 

A Escola: o “templo do saber” dedicado à criança e ao jovem; uma oportunidade que estes têm para desenvolver as dimensões do SER, do TER e do FAZER.

Ler Mais...

Gostar de estudar…. Acessível a todos 

Embora “estudar” seja um conceito muito vago e, várias vezes, de difícil “digestão”, a realidade é que, por algum momento, qualquer um gostou (ou gosta) de estudar.

 

Ler Mais...

Todas as emoções são importantes 

As emoções fazem parte da experiência Humana! Estas dividem-se segundo a maior ou menor positividade e a maior ou menor energia. 

Ler Mais...

O Crescimento Pós-Traumático 

Quando se perde alguém que se ama, a dor é indescritível, dada a sua intensidade. A pessoa que fica é, muitas vezes, incapaz de contemplar a vida sem o falecido. 

No entanto, nas fases seguintes, o que acontece a seguir varia muito entre cada um. Alguns nunca recuperam a perda; outros seguem em frente depois de um período de pesar e são capazes de funcionar como antes; 

Ler Mais...

Aceitação ativa das emoções versus resignação passiva 

Aceitar uma emoção não significa resignar-se a ela.  Segundo o psicoterapeuta Nathaniel  Branden (1994), a disposição de sentir e aceitar as emoções não pressupõe que estas devem ter a última palavra  naquilo que se faz. Pode não haver vontade de trabalhar hoje e pode admitir-se as emoções associadas, senti-las e aceitá-las e, em seguida, ir trabalhar.

Ler Mais...

A interdependência das emoções e da experiência humana 

As emoções são interdependentes da experiência humana. Por um lado, a forma como é experienciado o mundo, depende do padrão emocional de cada um.  

Ler Mais...

Saber regular as emoções no período de férias… 

(Ainda) A pandemia, por ter provocado a redução das relações dos mais novos com os seus pares e o enfraquecimento na aquisição das competências sociais e emocionais, gerou preocupação nos pais, particularmente ao nível do isolamento social dos mais jovens. 

Ler Mais...

Aceitar as emoções 

Quantas expressões cercam a criança, o jovem, o adulto, numa tentativa de reprimir as suas emoções mais dolorosas? 

“Os soldados não choram…” 

Ler Mais...

Mudar é possível: como começar? 

A mudança é um objetivo comum a todos os seres: todos queremos ser um pouco melhores e mais felizes. Contudo, ao longo desse processo surgem obstáculos de natureza emocional. 

Ler Mais...

A Empatia no desenvolvimento da Inteligência Emocional 

A empatia é uma competência humana que integra o desenvolvimento da Inteligência Emocional. Segundo Adriana Vieira (2013), ser empático significa “ser capaz de identificar e compreender as emoções e os sentimentos do outro” (p.31), como se estivesse a vivenciar a mesma situação. . 

Ler Mais...

A Autoconsciência e o Desenvolvimento da Inteligência Emocional

O desenvolvimento da Inteligência Emocional está relacionado com o desenvolvimento de determinadas competências pessoais. Uma dessas competências é a autoconsciência.

Ler Mais...

Encontrar a felicidade e saber estar feliz

Certo dia, um mercador enviou o seu filho para aprender o segredo da felicidade, para junto do homem mais sábio do mundo.

Ler Mais...

Princípios da inteligência Emocional

O Modelo de Inteligência Emocional, definido por Mayer, Salovey e Caruso (2002), e apresentado anteriormente, traduz-se numa forma de inteligência que combina emoções e pensamentos, e reflete a habilidade em lidar com essas emoções, distingui-las e utilizar os conhecimentos daí advindos para orientar os próprios comportamentos. 

 

Ler Mais...